Teste da orelhinha: detecte a tempo problemas auditivos no bebê

Exame é simples, indolor e pode ser feito enquanto o bebê está dormindo

0
4806

Você sabia que 0.3% das crianças nascem com um problema auditivo? Quando os bebês passam pelo UTI Neonatal, a percentagem pode subir para os 0.6%. É verdade que são números baixos, mas isso não retira a importância do teste da orelhinha: através desse exame, os pais ficam sabendo antecipadamente se o seu bebê pode sofrer de algum problema de audição e quais são os cuidados necessários.

Sem o teste da orelhinha, esse tipo de problema geralmente só é detectado quando a criança tem mais de 2 anos e apresenta dificuldades em se comunicar, uma situação que prejudica muito o bebê: é nessa fase que as crianças desenvolvem a maior parte das suas capacidades de relacionamento.

Mas, felizmente, diversas investigações têm demonstrado que, com o teste da orelhinha, as crianças têm um diagnóstico e um tratamento com antecedência, contando com mais chances de manter um crescimento normal.

Como é feito o teste da orelhinha?

O exame é rápido e nunca machuca o bebê. Sendo feito nos primeiros dias de vida, o teste da orelhinha começa com a colocação de um fone no ouvido da criança. Esse fone irá propagar alguns estímulos sonoros de várias intensidades. As respostas a esses estímulos são detectadas e registradas: desse jeito, é possível confirmar se existe algum problema com os tímpanos e com o canal auditivo do bebê. Como é tão simples, esse exame até pode ser feito enquanto a criança está dormindo.

Se o resultado do teste der indícios de que o bebê sofre de algum problema auditivo, a criança deve ser encaminhada para um exame mais completo.

“O exame é rápido e nunca machuca o bebê”

Esse teste é especialmente importante para alguns bebês?

Sim, há crianças em grupos de risco que devem fazer esse tipo de exame. São elas:

  • As crianças com um histórico familiar de surdez.
  • As crianças que tiveram uma intervenção no UTI durante mais de 2 dias.
  • As crianças com infecções congênitas. Rubéola e toxoplasmose são alguns exemplos.
  • As crianças cujo crânio tem uma formação anormal.

Como acompanhar o desenvolvimento da audição além do teste da orelhinha?

É fácil! Leia essa cronologia:

Até aos 6 meses

A criança reconhece sons fortes ou inesperados e até se assusta com eles. Além disso, o bebê já consegue identificar a voz dos pais, especialmente a da mãe, e detecta a origem dos sons.

12 meses

O bebê detecta imediatamente os sons que já conhece. Nessa fase, até é possível que a criança já identifique o seu nome.

30 meses

A criança já consegue construir frases simples. É normal que ainda fale incorretamente, sendo importante o incentivo dos pais para que comece a falar de forma adequada.

Relacionado: 14 dicas de como cuidar de um recém-nascido, com passo a passo

Assista a esse vídeo que demonstra como é feito o teste da orelhinha:

Curtiu esse artigo? Compartilhe com os seus amigos e familiares!