Trabalho Durante a Gravidez pode Fazer Mal

0
1194

Muita gente diz que gravidez não é doença e as mulheres não param suas vidas por causa de uma gestação. Trabalhar é algo essencial para a nossa vida. Entretanto uma pesquisa afirma que as mulheres que trabalham durante a gravidez têm mais riscos de ter pré-eclâmpsia.

Uma pesquisa feita pelo Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da College University, na Irlanda, revelou que as mulheres que trabalham durante a gravidez são cinco vezes mais propensas a desenvolver a pré-eclâmpsia. Doença que pode levar a mãe e o bebê à morte.

De acordo com cientistas, o estresse causado pelo trabalho pode aumentar os níveis de hormônios que colocam as gestantes em maior risco de desenvolver essa condição.

Para chegar a esses resultados, os pesquisadores monitoraram a pressão arterial de 933 mulheres, na faixa dos 20 anos, enquanto realizavam suas rotinas normais.

Pesquisa diz que Trabalho Durante a Gravidez pode fazer mal

Como foi realizada a pesquisa

As mulheres foram divididas em três grupos. As que estavam trabalhando durante a gravidez, as que não estavam trabalhando fora de casa e as que tinham emprego, mas escolheram parar de trabalhar durante a gestação.

Todas as mulheres que participaram do estudo estavam entre 18 e 24 semanas, e as grávidas que estavam trabalhando tiveram as maiores leituras de pressão arterial.

A pesquisa não identificou o trabalho exercido pelas mulheres, mas surpreendeu os pesquisadores.

Um dos responsáveis pela pesquisa disse: “Ficamos surpreendidos com a associação, especialmente porque excluímos  as mulheres que apresentavam alto risco de pré-eclâmpsia”.

Os autores da pesquisa disseram que ainda é preciso realizar mais estudos para fechar esse assunto.

As gestantes não precisam se assustar e deixar o trabalho por conta disso, até porque a grande maioria das mulheres trabalha por necessidade e muitas vezes é a única responsável pelo sustento da família.

O que é pré-eclâmpsia?

A pré-eclâmpsia que atinge em torno de 5% a 10% das grávidas, principalmente na primeira gestação.

Costuma surgir a partir da 20ª semana e é caracterizada por um repentino aumento da pressão, muitas vezes esse mal vem acompanhado por inchaço e dor na cabeça.

Essa doença acontece somente na gravidez, porque a placenta libera toxinas pelo corpo que podem destruir os vasos sanguíneos e causar a insuficiência dos órgãos.

Como consequência, o fluxo de sangue para o bebê fica prejudicado e ele não recebe o alimento suficiente, prejudicando o seu desenvolvimento e causando o parto prematuro.

Em situações mais graves, a pressão alta pode ocasionar edema cerebral, convulsões e até levar a gestante ao coma.

Portanto, para garantir uma gravidez saudável, realize um pré-natal e trabalhe, mas com moderação.