Ultrassom 3D: conheça o que é esse exame e se vale a pena fazer

0
1498
ultrassom 3d
Crédito: Freepik

A lista de exames que a gestante deve fazer para garantir sua saúde e a do bebê ao longo da gestação inclui ultrassons de diferentes tipos e exames de sangue. Em cada trimestre são exames determinados para acompanhar o desenvolvimento do feto e também há aqueles que ajudam a detectar possíveis problemas. Mas existe um exame que tem outra finalidade: o ultrassom 3D.

Hoje em dia muitas gestantes ouvem falar desse exame que está cada vez mais popular, mas nem todas sabem exatamente para que ele serve e se vale a pena fazer. Se for o seu caso, tire suas dúvidas agora.

Veja também: o que é o exame de cardiotocografia

O que é ultrassom 3D?

O ultrassom 3D é uma evolução do ultrassom 2D. Nesse exame é possível visualizar o feto em 3 dimensões, ou seja, com bem mais detalhes. É o exame recomendado para os pais aliviarem um pouco mais a curiosidade de como é a fisionomia do seu bebê, mas também pode ser feito para avaliar a existência e a gravidade de determinadas doenças.

Além desse, existe também o ultrassom 4D que é ainda mais avançado, permitindo ver as feições com boa definição e os movimentos do bebê dentro da barriga.

Com esse tipo de ultrassom é possível até mesmo fazer uma impressão em 3D com o formato e as feições do bebê, o que é uma inovação incrível para guardar de recordação e ainda mais importante para as mamães com deficiência visual poderem tatear o formato do bebê, sentindo-se ainda mais próximas deles de uma forma diferente.

A partir de qual trimestre pode ser feito o ultrassom 3D?

quando fazer o ultrassom 3d
Crédito: Clínica M

Conforme as orientações dos profissionais da Clínica Fetalmed, o ultrassom 3D pode ser feito em qualquer período da gestação. Entretanto, se for feito muito no início, quando o feto ainda não está com sua fisionomia formada, não será possível ver os detalhes do corpinho, então não faz muito sentido realizar o exame tão precocemente.

Por volta da 20ª semana o exame já consegue apontar um pouco mais de detalhes, entretanto, o período ideal para que o exame realmente seja interessante é entre a 26ª e a 29ª semanas. Nesse período o bebê tem uma boa quantidade de tecido gorduroso desenvolvido embaixo da pele e ainda tem bastante líquido amniótico, o que é essencial para promover a nitidez das imagens.

Depois desse período o resultado volta a não ser tão bom, pois o bebê fica com o rostinho encoberto na maior parte do tempo e o espaço dentro do útero é reduzido para obter boas imagens.

Preparação para o ultrassom 3D

De modo geral, não há um preparo específico para a realização do ultrassom 3D. Apenas é recomendado que a gestante não utilize cremes nem óleos na barriga e que beba bastante água nas 24 horas antes do exame para que haja maior chance de ótimas imagens com melhor nitidez. Não se preocupe, poderá fazer xixi normalmente nesse tempo.

Como é feito o exame?

A realização do exame é da mesma forma que são feitos os ultrassons comuns. A diferença está no modo de processamento das imagens que é feito pelo aparelho. Ele capta vários cortes bidimensionais para que sejam reconstruídos gerando as imagens em 3D ou em 4D.

O exame não dura mais do que 20 minutos, isso quando as situações são desfavoráveis. Mais do que isso não é viável, pois depois desse tempo o feto acaba percebendo a movimentação na barriga e cobre o rostinho de forma instintiva.

A imagem pode não ficar boa?

Sim, além de ser importante escolher o período recomendado para realizar o exame, que é entre a 26ª e 29ª semanas, existe o risco de o exame não ter bom resultado e os motivos são os seguintes:

Posição fetal

Se por acaso, na hora do exame, o feto estiver com o rostinho virado para as costas da mãe, não será possível obter as imagens.

Características do líquido amniótico

Para que o aparelho consiga captar boas imagens também é necessário que o líquido esteja escuro para criar um contraste com a superfície clara da pele. Se não houver esse contraste, quando o líquido está muito branco ou em pouca quantidade, as imagens podem ficar comprometidas.

Sons no tecido materno

A qualidade da imagem no ultrassom 3D também depende da passagem do som pelos tecidos maternos. Existem casos em que o som pode ter dificuldade de passar, como em mães com tecido adiposo muito espesso ou que ficaram com fibrose por alguma cirurgia anterior, o que poderá resultar em imagens ruins.

Doenças detectadas pelo ultrassom 3D

doenças detectadas pelo ultrassom 3d
Crédito: USB Barra

Como mencionado antes, além de permitir ver com melhor nitidez e detalhes o rosto e o corpo do bebê, esse exame também favorece a avaliação de possíveis problemas, como:

  • Lábio leporino e malformação do céu da boca;
  • Defeitos na coluna do bebê;
  • Malformações cerebrais, como anencefalia ou hidrocefalia;
  • Síndrome de Down;
  • Malformações de membros e órgãos.

Vale a pena fazer ultrassom 3D?

Considerando que esse exame só traz vantagens, pois além de permitir que os pais consigam conhecer em mais detalhes como é a fisionomia do bebê, também detecta problemas importantes para que seja feito o tratamento ou o preparo precoce, o exame vale a pena.

Mas para garantir melhores resultados é importante que seja feito na época adequada. De modo geral, o custo desse exame varia entre R$200 e R$300, então os pais precisam se preparar para fazê-lo no consultório particular.