Ultrassom transvaginal: saiba o que é e quando é recomendado fazer

0
2402
Crédito: Freepik

Quando a mulher começa a visitar o ginecologista, ainda na adolescência após sua primeira menstruação, começa a conhecer diversos tipos de exames que deve e que pode fazer para prevenir ou tratar doenças do seu sistema reprodutor. Um desses exames é a ultrassonografia transvaginal ou ultrassom transvaginal. Saiba mais sobre esse exame e esteja por dentro de como ele funciona e quando é recomendado fazer.

Veja também: exames necessários em uma gravidez tardia

O que é ultrassom transvaginal?

o que é o ultrassom transvaginal
Crédito: Freepik

O ultrassom transvaginal é um exame complementar do ultrassom pélvico. Transvaginal quer dizer que o aparelho vai mais a fundo na vagina para que seja possível uma melhor visualização dos órgão genitais internos. Para isso, utiliza-se uma sonda revestida com um preservativo para proteger a mulher de contaminações.

Como é feito o ultrassom transvaginal?

É comum que a mulher esteja com a bexiga cheia para realizar o ultrassom pélvico e, logo após esse exame, ela esvazie a bexiga e volte para a maca para fazer o ultrassom transvaginal. A posição é semelhante a do exame papa-nicolau, deitada com as pernas entreabertas e com o quadril ligeiramente elevado apoiado em uma almofada.

Então o médico reveste a sonda do aparelho com um preservativo e coloca nele um gel lubrificante para facilitar a introdução na vagina que, muitas vezes, é feita pela própria paciente para que não sinta desconforto.

O médico então irá segurar a parte da sonda que ficar do lado de fora para poder movimentá-la de modo a visualizar pela tela o útero e os ovários. É um exame relativamente rápido e não exige preparo específico.

Quando é recomendado fazer?

quando fazer o ultrassom transvaginal
Crédito: Freepik

Existem diferentes situações em que o médico necessita visualizar o aparelho reprodutor da mulher internamente para detectar alterações e diagnosticar doenças.

Endometriose

O ultrassom transvaginal é muito importante para o diagnóstico da endometriose que é quando o endométrio (revestimento interno do útero que vira menstruação quando não há fecundação do óvulo) acaba sendo expelido não apenas pelo canal vaginal, mas também fica depositado em outras áreas, como bexiga, ovários, intestinos e trompas, causando forte dor sempre que a mulher entra no período menstrual. Nesse caso o médico pode solicitar um preparo dos intestinos para conseguir visualizar melhor o comprometimento da doença nessa região.

Câncer

Em casos de câncer em algum órgão reprodutor feminino o ultrassom transvaginal também se faz necessário. Para que o exame ofereça resultados bem específicos se faz o uso de doppler que é o uso de ondas sonoras de alta frequência que mede a quantidade de fluxo sanguíneo para os órgão próximos. Assim é possível detectar um padrão característico de formação de novos vasos que irrigam o tumor, levando à suspeita ou não de câncer maligno.

Pólipos endometriais

Os pólipos são como pequenas bolinhas que se formam pelo crescimento anormal da mucosa ou tecido no interior de um órgão. Nesse caso, o exame de ultrassom transvaginal visa analisar a existência, quantidade e tamanho dos pólipos formados no endométrio dentro do útero para que seja possível programar sua extração e evitar que se tornem tumores.

Miomas uterinos

De acordo com os especialistas, os miomas uterinos são tumores benignos que crescem no tecido do interior do útero. São raros os casos em que eles viram malignos, mas podem afetar a maioria das mulheres férteis sem causas qualquer complicação. Eles podem surgir de forma isolada ou em maior quantidade, seja na parede do útero, no endométrio ou fora do útero. O ultrassom transvaginal auxilia na detecção de todos esses detalhes.

Início da gestação

Quando a mulher está bem no comecinho da gravidez, o ultrassom transvaginal é recomendado para que se tenha a certeza de que o óvulo fecundado (embrião) chegou dentro do útero e lá foi implantado.

Existem casos de gravidez ectópica, também chamada de gravidez tubária, que é quando o embrião não chega no útero porque o caminho está obstruído, então não vinga e precisa ser removido por meio de curetagem.

Mas se estiver tudo certo, esse exame também tem a finalidade de estimar o tempo de gestação e fazer o primeiro exame morfológico para determinar a translucência nucal, rastreando possíveis alterações genéticas no feto.

Contraindicações do ultrassom transvaginal

Como esse é um exame que vai a fundo na cavidade vaginal, não pode ser feito em mulheres virgens ou que tenham algum tipo de problema em introduzir ou manipular algo no interior da vagina.