Anestesia no parto – qual escolher?

0
10157

Parece um pouco ingrato quando a mulher está sofrendo contracções e, para aliviar a sua dor, tem de passar pelo processo doloroso da anestesia.

No entanto, após a realização da anestesia, o fim da agonia surge para reconfortar as gestantes mais inquietas e em sofrimento.

Cada mulher é informada acerca do tipo de anestesia que vai tomar, sobretudo, se o seu parto for de cesariana.

Nesse artigo lhe explicamos a diferença entre a anestesia peridural e a raquianestesia.

A anestesia peridural e a raquianestesia

Ambas realizadas na área lombar da coluna, a anestesia peridural e a raquianestesia (ou ráqui, como é vulgarmente chamada) são as mais tradicionais.

A anestesia peridural alcança a região por onde passa o LCR (líquido cefalorraquidiano) ou fluído cérebro espinhal, um fluído incolor que transita entre o cérebro e a coluna, levando as propriedades necessárias ao tecido nervoso e retirando resíduos metabólicos.

Com a anestesia peridural “a paciente perde a sensibilidade à dor, mas mantém a sensibilidade ao tato e consegue movimentar as pernas, ainda que com dificuldade.

O efeito anestésico demora um pouco mais para se iniciar, porém a duração é mais longa, inclusive no pós-operatório”, esclarece o especialista, Gregório Lorenzo Acácio, mestre e doutor em Ginecologia e Obstetrícia pela Unicamp-SP.

A raquianestesia é aplicada na mesma área, onde está o LCR, a diferença entre as duas é que, com a raquianestesia, a paciente perde a sensibilidade à dor e ao tato, e não consegue mexer as pernas. O seu efeito é mais breve e curto que a peridural.

Qual anestesia escolher para o parto? Elas causam dor?

A maioria das mulheres se sentem inseguras relativamente à anestesia, e não sabem qual devem escolher para o parto.

Contudo, segundo o médico Gregório Lorenzo Acácio “a decisão deve ser conjunta entre o anestesista e o obstetra, levando em consideração as características anatômicas da coluna, o tempo estimado para o procedimento e o controle de dor no pós-operatório”, afirma.

Normalmente, o que acontece é que quando a gestante chega no hospital já em trabalho de parto e com grande dilatação, se deduz que o parto normal será rápido, e então, é aplicada a raquianestesia.

Porém, nas pacientes com dilatação parcial do colo, é utilizada a peridural por que além de ter uma duração mais longa, possibilita a permanência de um cateter nas costas da gestante para eventuais doses adicionais e para a realização de cesariana.

Relativamente à dor, o ginecologista, obstetra e professor universitário, Gregório Lorenzo Acácio, fala que em qualquer caso anestésico é sempre previamente aplicada uma anestesia local para atenuar a possível dor da anestesia.

As pacientes sentem, com frequência, a entrada do líquido nas costas na anestesia peridural, e sentem calor nas pernas com a raquianestesia.

A anestesia é injetada habitualmente com a gestante sentada com as pernas esticadas na horizontal.

    Relacionado: Coisas que toda a mulher passa na gravidez

O momento do parto é muito importante na vida de qualquer mulher, portanto, é fundamental que todas partilhem sempre os seus medos e inseguranças com a equipe médica, para que ela possa trabalhar melhor e acalmar a futura mamãe!

Confira no vídeo mais sobre o assunto:

Compartilhe essa dica!