10 dicas para conseguir criar um filho educado

Os filhos repetem o comportamento do meio em que estão inseridos

0
48371

Existe uma máxima que é repetida para crianças diante de um comportamento inadequado: “você é mau educado”. O mau educado, contrário de bem educado, é uma referência a ações e comportamentos que são esperados e, quando não correspondem, decepcionam.

Há pais que acham lindo o filho estender a mão, dizer bom dia, boa tarde e boa noite. Há outros que deixam a criança livre para repetir esse atos quando se sentir bem.

Existem pais que punem e existem pais que demonstram o exemplo. E, fundamentalmente, existe uma rede de acompanhamento da criança que não é dominada pelos pais. É formada pela escola, os parentes e os amigos.

E como agir e tirar da criança o que ela pode dar de melhor? A primeira coisa é dar o exemplo e a segunda é respeitar o tempo da criança.

Há, também, algumas atitudes que podem ajudar. Confira:

1. A expressão mágica “por favor”

Tente dizer isso mais vezes quando quer algo da criança. É a imitação: “por favor, pode pegar sua mamadeira”. “Por favor, pode esperar”.

Deixe a criança ver que essa expressão também é repetida para outras pessoas com quem interage. Dite as frases que ela vai repetir: “por favor, senhora, quero comprar aquele sorvete”.

Tenha calma, a criança aprenderá a importância que você dá para a gentileza

2. Compartilhar

Há uma certa dificuldade em compartilhar, principalmente antes dos 3 anos de idade. É preciso também ter paciência e estimular a partilha.

Nem sempre é interessante ensinar algo para ter outra coisa em troca, principalmente entre crianças.

É um exercício complicado, mas depende de exemplo também. Ofereça mimos e tente explicar que é para que ela fique feliz.

Diga isso quando quiser que ela também compartilhe um brinquedo, por exemplo, com outra criança.

Não obrigue a criança a compartilhar, isso pode gerar o efeito contrário.

3. Gratidão

Sempre agradeça uma atitude ou gesto do seu filho. É o mesmo que o “por favor”, ensine com exemplos que a criança vai repetir. Demonstre gratidão ao receber um gesto, mesmo pequeno, que a imitação vai acontecer.

4. Desculpar-se

Um erro deve ser reconhecido e o pedido de perdão é um instrumento que permite isto. Nos pequenos desentendimentos, mesmo aqueles do jardim de infância, os pedidos de desculpas devem ser estimulados para que as crianças percebam sua importância.

Algumas situações de disputa favorecem uma fúria em que o pedido de desculpa pode ser um martírio. Tente não brigar se notar isso, mas deixe claro que é preciso reconhecer o erro e ensine seu filho a se colocar no lugar do outro.

5. Aprender a escutar

Para uma criança pequena, tudo é urgente. Há quem fique irritado quando essa “urgência” se manifesta no meio de uma conversa entre adultos.

Nesse ponto, o que está errado é o comportamento dos adultos, que acreditam ser necessário a criança esperar para que falem. Próximo a crianças, conversas não podem ser sérias o bastante para que não sejam interrompidas.

A criança precisa ser ensinada a esperar para falar, mas não a calar. Aquela urgência dela, pode mesmo ser assim, urgente, basta estar aberto e ouvir.

Aos poucos, os filhos vão entendendo que é preciso esperar porque você também espera.

Relacionado: Não, a palavrinha mágica do limite

6. Respeitar a intimidade

Fazer xixi, cocô e limpar o nariz fazem parte da intimidade. O que está sujo será limpo no local adequado, o banheiro.

As crianças percebem isso rápido. Não precisam assistir a um discurso sobre onde limpar bum bum ou o nariz. Basta levar ao banheiro que ela associa.

7. Respeitar a casa das outras pessoas

Abrir a geladeira, entrar diretamente para os cômodos privados sem permissão não é bem visto. Assim, fale antes mesmo de entrar na casa de outra pessoa que a criança deve ficar no lugar de convívio.

Ela só vai se dirigir a outro cômodo se for convidada e após a permissão dos pais. Abrir a geladeira e armários pode significar uma invasão de privacidade. Diga que não é aceito.

8. Respeito ao outro

Avós, tios e amigos mais velhos não precisam sem tratados com deferência, mas não devem ser desrespeitados.

Esse respeito será revelado à medida que a criança cresce. Não adianta forçar um beijo a uma criança de 2 anos de idade, mas uma de 8 anos já diz bom dia. É o resultado do exemplo.

As crianças também não podem ter a palavra do adulto como final porque a opinião dela também precisa de respeito. Quem dita o equilíbrio é pai e mãe.

9. Refeições

Os filhos devem aprender a importância das refeições e o porquê de haver um momento especial para isto.

Faça das refeições um momento de compartilhar afeto e experiências, mas com tranquilidade. Esteja com eles à mesa. Evite deixar que se alimentem na frente da televisão, sem supervisão e cuidado.

10. Esperar

É muito chato ficar em uma fila qualquer para um adulto. Para uma criança é ainda pior, mas ela terá que aprender a esperar.

A paciência é a chave para ensinar paciência. Há situações que vão acontecer, por mais que os pais tentem evitar que aconteça. Uma fila de espera pelo médico, por exemplo. Não demonize a espera.