Atenção aos medicamentos que colocam a gravidez em risco

Órgão de saúde dos EUA montou tabela que deixa claro os efeitos dos remédios no feto e na gestante

10
35385

A gravidez é um momento de atenção constante. A maioria das mulheres não quer, mas vai precisar entrar em terapia medicamentosa em algum momento da gestação. Os motivos são tantos, que fica impossível listar.

É, contudo, possível conhecer os possíveis danos que alguns medicamentos causam para a formação do bebê e para a mãe.

Há medicamentos cujo princípio ativo atravessam a barreira da placenta e causam danos irreversíveis ao feto e podem induzir ao aborto.

Foi para facilitar a decisão sobre a aplicação dos medicamentos, que o FDA (Food and Drug Administration) dos Estados Unidos, elaborou uma tabela de classificação de risco. São cinco etapas de classificação, A, B, C, D e X.

Os medicamentos enquadrados nas etapas A, B ou C só podem ser administrados em mulheres grávidas com a avaliação criteriosa dos riscos.

Os medicamentos de classificação D são arriscados para a administração em mulheres grávidas.

Os mais perigosos são os medicamentos de classificação X. Eles podem causar anomalias ao feto e nunca devem ser utilizados por mulheres grávidas.

Para não ter qualquer tipo de risco toda terapia deve ser repassada pelo médico responsável pelo pré-natal.

Confira a lista geral, os efeitos colaterais na gestação e e fique atenta:

Remédio Efeitos colaterais
Acetato de hidrocortisona Há risco de anomalias fetais se for usado por muito tempo ou em grandes quantidades
Acetato de leuprorrelina Mulheres que planejam engravidar ou já estão esperando bebê não devem usar esse medicamento
Acetato de medroxiprogesterona Os componentes da fórmula têm efeito teratogênico e podem causar malformações nos genitais. Também pode ocorrer anomalias cardíacas no bebê, independente do sexo
Acetato de megestrol Também é contra-indicado para mulheres que planejam engravidar ou que já estejam grávidas
Acetazolamida É perigoso usar essa substância no primeiro trimestre da gestação
Ácido acetilsalicílico Se for usado no terceiro trimestre pode resultar em hemorragias. Um dos efeitos colaterais é o atraso do início do parto e pode haver  aumento do tempo para o nascimento do bebê. O melhor é não usar durante toda a gravidez. Também pode causar o fechamento do ducto arterioso fetal. Essa situação leva à hipertensão pulmonar. Entre outros riscos está do de icterícia
Ácido salicílico Essa substância não deve ser usada no primeiro trimestre
Albendazol Os efeitos desse medicamento são tão fortes, que é preciso evitar a gravidez por um ano após o seu uso
Amiodarona É preciso evitar o uso dessa substância
Anastrozol Não deve ser usado por mulheres que pretendem engravidar
Anfotericina b É preciso avaliar o risco para o feto antes de recomendar o uso desse medicamento
Artesunato de sódio Não deve ser usado nos primeiros três meses
Asparaginase Esse medicamento é perigoso para o feto
Atenolol Entre os efeitos colaterais está a redução do crescimento do feto, hipoglicemia e, ainda, de bradicardia
Azatioprina Só pode ser usado sob supervisão médica com a avaliação do risco para o bebê
Besilato de anlodipino Pode causar hipertensão na gestante
Brometo de pancurônio O principal efeito colateral é o bloqueio neuromuscular. Por isso, o uso deve ser avaliado
Brometo de piridostigmina A principal recomendação é evitar a superdosagem por esse medicamento. Ele pode causar miastenia neonatal
Cabergolina Pacientes com hipertensão não deve usar esse medicamento porque ele pode causar a pré-eclâmpsia
Calcitriol Seus componentes causam diversos efeitos teratogênicos, como hipercalcemia e problemas cardíacos
Captopril Pode levar à morte do feto em qualquer estágio da gravide
Carbamazepina São muitos os efeitos teratogênicos. Os mais observados são: fechamento incompleto do tubo neural, deficiência de vitamina K e sangramento
Carbonato de cálcio O uso deve ser analisado
Carbonato de lítio Não deve ser usado porque tem efeito teratogênico
Carboplatina Pode causar mutações e tem efeito teratogênico
Ciclofosfamida Tem efeito teratogênico
Ciclosporina Seu uso está associado ao baixo peso ao nascer
Cipionato de testosterona Pode ter efeitos negativos para os fetos do sexo feminino
Citarabina Pode causar má-formação e mutação
Citrato de clomifeno É de elevado risco para a mulher, porque pode causar má-formação e gravidez ectópica
Citrato de dietilcarbamazina Não usar durante a gravidez
Citrato de fentanila Pode causar problemas respiratórios, problemas gástricos e pneumonia
Citrato de tamoxifeno Não deve ser usado durante a gravidez
Cladribina A gravidez só é recomendada seis meses após o tratamento com esse remédio
Clonazepam Causa dependência
Clorambucila O risco de má-formação está ligado para homens e mulheres, que devem usar contraceptivos durante a terapia com esse medicamento
Cloranfenicol Pode causar o surgimento da síndrome do neonato
Cloridrato de amiodarona Não é recomendado para mulheres grávidas
Cloridrato de amitriptilina Deve ser avaliada a necessidade por conta dos efeitos sobre o feto
Cloridrato de bupivacaína Esse medicamento pode causar depressão respiratória, hipotonia e bradicardia no feto
Cloridrato de cetamina O principal risco é da depressão respiratória
Cloridrato de clomipramina Tem elevado risco para o feto
Cloridrato de clorpromazina Pode causar dependência no neonato, icterícia, hiperbilirrubinemia e letargia
Cloridrato de dopamina Tem efeito teratogênico
Cloridrato de doxiciclina Prejudica o desenvolvimento do esqueleto e pode causar descoloração nos dentes
Cloridrato de doxorrubicina Tem risco teratogênico e pode impedir o crescimento do feto

 

Cloridrato de hidralazina O uso deve ser evitado no segundo trimestre. Pode causar trombocitopenia e hipertensão
Cloridrato de idarrubicina Tem efeitos teratogênico e carcinogênico. Causa risco de morte ao feto
Cloridrato de lidocaína Os principais riscos são de depressão respiratória, hipotonia e bradicardia.Também pode causar bloqueio epidural
Cloridrato de lidocaína + hemitartarato de epinefrina É bastante arriscado usar esse medicamento durante a gestação porque impedir a circulação de sangue para a placenta e provocar contrações no útero
Cloridrato de mefloquina Que usar esse medicamento deve evitar gravidez  por três meses após interromper a terapia
Cloridrato de midazolam Só pode ser usado sob cuidadosa supervisão médica
Cloridrato de minociclina Causa problemas no desenvolvimento do esqueleto
Cloridrato de naloxona Só pode ser usado sob cuidadosa supervisão médica
Cloridrato de nortriptilina Tem efeitos anticolinérgicos no feto
Cloridrato de ondansetrona Não é considerado seguro para ser usado na gravidez
Cloridrato de piridoxina Se for usado em doses muito elevadas pode causar dependência no feto. O uso deve ser avaliado pelo médico
Cloridrato de prometazina Pode antecipar o parto
Cloridrato de propranolol Retarda o crescimento fetal, causa bradicardia e hipoglicemia
Cloridrato de verapamil O médico deve ser consultado
Cloridrato de prilocaína + felipressina Tem vários efeitos sob o feto, como depressão respiratória, bradicardia e hipotonia. Pode, ainda, causar, bloqueio paracervical
Dacarbazina Quem usa esse medicamento deve esperar seis meses antes de engravidar porque tem elevado poder teratogênico
Dapsona Não deve ser usado no primeiro trimestre porque causa hemólise e meta-hemoglobinemia

 

Dexametasona O uso deve ser avaliado porque pode causar anomalias no feto
Diazepam Pode causar fissura no palato e lábio leporino
Dicloridrato de quinina Pode induzir ao parto
Didanosina Prejudica o feto se usado no primeiro trimestre. Causa acidose lática e esteatose hepática
Difosfato de primaquina Prejudica o feto se usado no terceiro trimestre. É preciso avaliar o risco-benefício na gravidez
Dipirona sódica Pode induzir ao fechamento antecipado do ducto arterial. Também pode retardar o trabalho de parto
Dipropionato de beclometasona Causa baixo peso ao nascer e induz a partos prematuros
Docetaxel Pode causar má-formação fetal, retardo de crescimento e mutação
Enantato de noretisterona + valerato de estradiol Os riscos são de gravidez ectópica e má-formação fetal
Espironolactona Não é seguro para ser usado durante a gravidez
Estreptoquinase Entre os riscos está o descolamento da placenta, hemorragia fetal e hemorragia materna após o parto
Estriol Causa má-formação fetal
Estrogênios conjugados Causa má-formação fetal
Etinilestradiol + levonorgestrel Causa má-formação fetal
Etoposídeo É preciso avaliar o risco do uso e os benefícios para a mãe
Fenitoína sódica Pode causar anomalias fetais, problemas na formação do Sistema Nervoso Central, anomalias craniofaciais, hemorragia e hipoplasia
Fenobarbital Tem feitos teratogênicos e pode causar hemorragia
Fluconazol Causa anomalias fetais. É preciso avaliar a terapia e o risco-benefício
Fluoreto de sódio Risco considerado mínimo na gravidez
Fluoruracila Não deve ser usado por grávidas e mulheres que pretendem engravidar
Fosfato de codeína Risco de pneumonia e estase gástrica
Fosfato sódico de prednisolona O risco é de hipoadrenalismo
Glibenclamida Pode causar hipoglicemia neonatal
Gliclazida Pode causar hipoglicemia neonatal
Heparina sódica Há risco de indução à osteoporose e osteopenia
Hidroclorotiazida Pode causar trombocitopenia no feto
Hidróxido de magnésio + hidróxido de alumínio Uso deve ser avaliado
Hidroxiuréia O médico deve ser consultado
Ibuprofeno Pode causar hipertensão pulmonar no recém-nascido, retardar e aumentar o tempo do trabalho de parto
Ifosfamida Pode causar malformação fetal
Iodo + iodeto de potássio (sol. de lugol) Há risco de desenvolvimento de bócio no feto
Isoflurano Aumento do sangramento uterino e depressão respiratória neonatal
Lamivudina Esse medicamento previne a transmissão vertical do HIV
Levotiroxina sódica O médico deve monitorar o uso desse medicamento
Lopinavir + ritonavir Também previne a transmissão vertical do HIV
Maleato de enalapril Causa malformações e deve ser evitado durante a toda a gravidez
Maleato de midazolam O uso deve ser sob monitoramento médico
Maleato de timolol Pode causar arritmia no feto
Manitol Pode causar o acúmulo de líquidos nos pulmões e também no cérebro
Mebendazol Tem elevado risco teratogênico
Melfalana Pode leva á malformação fetal e retardo no crescimento
Mercaptopurina Grávidas não devem usar
Mesilato de nelfinavir Evita o uso no primeiro trimestre da gravidez

 

Mesilato de saquinavir Deve ser avaliado porque trata pacientes com o HIV
Metotrexato de sódio Tem efeito teratogênicoe pode levar ao aborto
Metronidazol Deve ser avaliado o risco-benefício
Nevirapina Pode causar graves problemas hepáticos
Nifedipino Pode prejudicar trabalho de parto.
Nitrato de miconazol É seguro para tratar infecções fúngicas na gravidez
Nitrofurantoína Pode causar hemólise neonatal e anemia hemolítica no feto
Noretisterona Não deve ser usado por grávidas ou mulheres que desejam engravidar
Omeprazol / omeprazol sódico Risco de anormalidades congênitas
Óxido nitroso Pode levar à depressão respiratória do feto
Palmitato de cloranfenicol Há risco de síndrome cinzenta no feto
Palmitato de retinol Causa malformações no Sistema Nervoso Central e anomalias craniofaciais. Também está ligado ao risco de defeitos cardíacos e problema no aparelho
Pamidronato dissódico Não é seguro usar na gravidez
Pirimetamina É contra-indicado para o primeiro trimestre
Praziquantel Como trata das infecções por T. Solium deve ser aplicado de imediato, embora haja risco do uso
Propiltiouracila Pode causar bócio e hipotiroidismo no feto
Propofol Pode levar à depressão respiratória fetal
Prova tuberculínica (derivado proteico purificado – PPD RT23) Questione seu médico se a gravidez interfere no resultado
Ritonavir Evitar o uso no primeiro trimestre
Solução de Ringer + lactato Os sais de sódio aplicados para evitar a pré-eclâmpsia
Succinato de metoprolol Pode interferir no crescimento fetal, levar à hipoglicemia e bradicardia
Succinato sódico de cloranfenicol Pode levar ao desenvolvimento da síndrome cinzenta no feto
Succinato sódico de hidrocortisona O principal risco é o retardo de crescimento intra-uterino.
Sulfadiazina Se usado próximo ao parto pode causar hiperbilirrubinemia do recém-nascido
Sulfadiazina de prata Não é indicado no terceiro trimestre porqueu há risco de risco de hemólise e metemoglobinemia neonatal
Sulfassalazina O principal risco é a icterícia
Sulfato de amicacina Pode causar anomalias na audição.
Sulfato de bleomicina Não deve ser usado na gravidez porque causa malformação fetal e retardo do crescimento
Sulfato de estreptomicina Pode causar anomalias no nervo auditivo ou vestibular
Sulfato de magnésio Pode levar à síndrome do mecônio tampão, distúrbios neurocomportamentais e depressão respiratória no feto
Sulfato de morfina Pode levar à depressão da respiração neonatal, estase gástrica e risco de pneumonia de inalação na mãe. Também pode aumentar o tempo do trabalho de parto.
Sulfato de quinina Tem efeito teratogênico e pode induzir ao aborto
Sulfato de salbutamol É preciso avaliar o risco para a mãe e o feto. Pode causar problemas cardíacos na mãe
Sulfato de vimblastina Não deve ser usado durante a gravidez porque causa malformação no feto
Teniposídeo Causa malformação fetal
Tioguanina Risco de malformação fetal
Tiopental sódico Pode causar depressão respiratória no feto
Vacina BCG Risco de malformações congênitas se usada na gravidez. Isso é na teoria, precisa ser discutido com o médico
Vacina contra influenza É melhor usar a partir do segundo trimestre de gravidez para evitar aborto
Vacina contra meningococo B e C Só pode ser aplicada em mulher grávida se justificar o risco
Vacina contra raiva (uso humano, cultivo celular) É segura para ser usada durante a gravidez e não há risco de malformação do feto
Vacina de vírus vivos atenuados de febre amarela Avaliar o risco da imunização
Vacina de vírus vivos contra sarampo Há risco de malformações. A gravidez deve ser evitada três meses após a imunização
Vacina oral contra poliomielite tipos 1, 2 e 3 Só deve ser feita se o benefício justificar o risco
Vacina tríplice viral contra sarampo, rubéola e caxumba (SRC) É recomendado não engravidar nas próximas quatro semanas após a imunização
Valproato de sódio Tem efeito teratogênico e pode prejudicar o fechamento do tubo neural. É preciso considerar os benefícios diante da possibilidade das mães terem convulsões
Varfarina sódica Causa malformações fetais, hemorragia no feto e hemorragia na placenta
Zidovudina Por ser um medicamento de tratamento do HIV, o uso é feito sob supervisão médica
Zidovudina + lamivudina Por ser um medicamento de tratamento do HIV, o uso é feito sob supervisão médica
Comprimidos

Fonte: Conselho Federal de Farmácia

Gostou da dica? Então compartilhe!

Relacionado: Conheça os medicamentos que ajudam a engravidar