Cuidado com o colo do útero curto durante a gravidez

Essa insuficiência pode obrigar você a ficar de repouso absoluto!

0
4682

Você já ouviu falar em colo do útero curto? Sabia que essa é uma deficiência que acomete muitas mulheres durante a gravidez? Nós vamos explicar para você o que é e o que fazer caso você seja uma dessas mulheres.

Toda mulher possui uma pequena abertura no colo do útero que serve para passar a menstruação e possibilitar a entrada do esperma. Quando nós engravidamos, essa passagem ganha um pequeno tampão (o famoso tampão da gravidez) que serve como um apoio para o bebê durante as semanas de gravidez.

Quando vai se aproximando o momento do parto, é normal que esse tampão afine. No entanto, quando a mulher apresenta o quadro de colo de útero curto, esse tampão fica extremamente fino, podendo causar um parto precoce devido ao peso do bebê.

Algumas coisas podem causar o colo do útero curto, mas ainda não foram definidos motivos específicos para essa deficiência, pela medicina.

Você pode apresentar características congênitas, pode acontecer por algum procedimento cirúrgico que você tenha feito (curetagem, por exemplo), pode ser causado por abortos espontâneos que você tenha tido anteriormente, entre outros motivos.

O problema do colo do útero curto é que ele geralmente só é detectado a partir dos 6 meses de gravidez, quando o bebê já começa a pesar o suficiente para pressionar o útero, mas ainda é muito cedo para ele nascer.

O colo do útero curto pode causar um trabalho de parto muito precoce

Então muitas mamães ficam se perguntando o que fazer para tratar algo que não tem sintomas. Pois é, infelizmente só é possível cuidar desse problema a partir do seu diagnóstico. Com as ultrassonografias do segundo trimestre é possível medir o útero, que deve ter entre 2,5 cm e 3 cm. Caso seu colo do útero esteja menor, você pode sofrer dessa deficiência e correr riscos na sua gestação.

Quando a mulher apresenta o quadro de colo de útero curto, esse tampão fica extremamente fino.

Mas existem algumas coisas que podem ser feitas para diminuir esses riscos. A primeira delas é manter repouso absoluto, ou seja, você deve ficar deitada em tempo integral, levantando-se apenas para ir ao banheiro ou tomar banho, até o final da gravidez. Quando uma grávida está deitada, o bebê não pesa e, consequentemente, não força o útero.

Outra opção é a implantação do pessário. O pessário é uma espécie de anel de silicone encaixado no colo do útero para segurar o peso bebê. Esse método ainda é muito raro no Brasil, pois não se existe uma comprovação sobre a eficácia dele. Mas as mulheres que utilizaram, aprovaram. Segundo elas, é necessário apenas ficar de olho no dispositivo para verificar se não causa dores, incômodos ou secreções vaginais.

A terceira opção é, juntamente com o repouso, solicitar ao seu médico o uso de progesterona, que retarda o trabalho de parto.

O que você pensa sobre esse assunto? Você conhece alguém que já tenha passado por essa experiência? Conte-nos através dos comentários e não deixe de compartilhar esse artigo com suas amigas, futuras mamães.

Relacionado: As 18 doenças mais temidas por toda a mulher grávida