Gases na gravidez: saiba se prejudica o bebê e veja dicas para amenizar

0
1892
gases na gravidez
Crédito: Freepik

Todas as pessoas produzem gases, é absolutamente normal. Os gases são produzidos durante a alimentação, seja por causa da entrada de ar ao comer ou por causa das propriedades de determinados alimentos que liberam seus gases no intestino. Porém, os gases na gravidez podem se tornar um incômodo além do normal.

Pelo fato de que a gestante está com seus órgãos comprimidos pelo útero, os gases formados podem causar mais desconforto  ao ficarem acumulados. Mas será que eles prejudicam o bebê? Veja a verdade e confira dicas para evitar o excesso de gases no dia a dia.

Gases na gravidez prejudica o bebê?

Mesmo se sentindo bastante desconfortável, a principal preocupação da mãe é sempre com a saúde e o conforto do seu bebê. Então, muitas gestantes ficam na dúvida se o excesso de gases que estão produzindo pode, de alguma forma, afetar o feto.

A verdade, de acordo com os especialistas, é que os gases não prejudicam o desenvolvimento do bebê de forma alguma. Mesmo quando existe dificuldade na eliminação dos gases acumulados, somente a gestante irá sentir os efeitos. Sendo assim, não há com o que se preocupar nesse sentido.

Sintomas de gases na gravidez

sintomas de gases na gravidez
Crédito: Freepik

Não é porque o bebê está seguro, que a gestante precisa ficar se sentindo inchada e desconfortável com os gases na gravidez. Mas, em algumas situações, pode ser difícil perceber se o que está sentindo são gases ou se é outro tipo de dor ou inchaço. Então, veja quais são os sintomas, de acordo com as orientações dos obstetras, para identificar o excesso de gases intestinais na gestação.

Sensação de inchaço e pressão na barriga

A sensação provocada pelos gases na gravidez é a mesma que ocorre com quem não está grávida. Os gases causam um inchaço intestinal, expandindo um pouco a região do abdômen e exercendo um pouco de pressão. Como a mãe não vai conseguir identificar o inchaço apenas olhando para a barriga, deve prestar atenção nessa sensação.

Cólicas

Também é normal que dores de barriga fortes ocorram quando há uma quantidade grande de gases acumulados. As cólicas também podem significar a dificuldade para ir ao banheiro, não apenas por causa dos gases. Mas o normal é que não haja alterações nas funções intestinais da gestante, nem com diarreias nem com fezes endurecidas. Então, ao perceber essas alterações, o médico deverá ser consultado.

Hemorroidas

Em especial no final da gestação, quando o útero está maior, ele acaba pressionando o intestino. Em algumas mulheres podem se formar hemorroidas, que são veias dilatadas localizadas na parte interna o externa do ânus. Nesse caso, a gestante deve conversar com seu médico para que ele prescreva uma medicação adequada e faça as orientações para reduzir a dilatação das veias e prevenir que outras apareçam.

Dicas para evitar o excesso de gases na gestação

como evitar os gases na gravidez
Crédito: Freepik

A principal causa dos gases na gravidez é uma alimentação inadequada. Não quer dizer que a mãe esteja se alimentando mal, com comida industrializada, mas é que determinados alimentos, como as leguminosas, liberam mais gases enquanto estão sendo digeridas do que outros alimentos. Por isso, o ideal é que a gestante adapte sua dieta, seguindo as orientações do ginecologista ou do seu nutricionista, evitando as principais fontes de gases intestinais.

Fazer uso de laxantes naturais

As dicas de alimentos que são laxantes naturais não mudam muito para mulheres não grávidas e para gestantes. Mesmo assim, como cada mulher tem uma gravidez cheia de particularidades, é importante conversar com o médico sobre o que pode ou não comer. De modo geral, os laxantes naturais são:

  • Ameixa preta;
  • Uvas passas;
  • Iogurteturais;
  • Folhas verds naes frescas;
  • Farelo de aveia;
  • Granola sem açúcares;
  • Kefir de fonte confiável.

Todos esses alimentos contêm boas fibras que, ao chegarem no intestino, servem de alimento para as bactérias saudáveis que compõem a microbiota intestinal. Assim, o intestino vai conseguir trabalhar de forma mais saudável, ajudando a evitar o acúmulo de gases e a prisão de ventre. No caso do iogurte e do kefir, eles são as fontes de bactérias benéficas que vão povoar a microbiota intestinal e deixá-la fortalecida.

Alimentos que deve evitar

Diversos alimentos podem causar o aumento dos gases intestinais na gravidez, por isso, devem ser evitados ou consumidos com mais cuidado pela gestante, sempre com orientação do médico para que não ocorram problemas como anemia na gravidez por falta de nutrientes.

  • Evitar bebidas gaseificadas de qualquer tipo, mesmo água com gás;
  • Evitar leguminosas como feijão, lentilha, grão-de-bico, ervilha e amendoim;
  • Controlar o consumo de ovos, queijos, brócolis, repolho e cebola;
  • Evitar gomas de mascar de qualquer tipo;
  • Evitar frituras, açúcares industrializados e alimentos muito condimentados. Este último, para prevenir sintomas mais fortes em casos de hemorroidas.

Cuidados gerais para evitar e aliviar os gases na gravidez

Além dos cuidados com uma alimentação saudável e equilibrada, é essencial que a futura mamãe tenha outros cuidados na rotina para evitar o mal-estar causado pelos gases.

  • Beber muita água ao longo do dia;
  • Beber chás que aliviam os gases;
  • Usar roupas folgadas;
  • Praticar atividades físicas durante toda a gravidez;
  • Evitar ao máximo prender os gases, pois irá aumentar o desconforto;
  • Não tomar medicamentos laxantes por conta própria.