O que são prostaglandinas e quais os tipos na gravidez

0
505
tipos de prostaglandinas
Crédito: Freepik

Entre os nomes complicados que toda grávida aprende, estão as prostaglandinas, substâncias que se localizam em diferentes partes do corpo, exercendo diversas funções.

Quando uma mulher engravida ou está tentando engravidar, ela começa a entrar em um mundo cheio de novidades e surpresas, com nomes complicados e novas preocupações com o seu corpo e o desenvolvimento do bebê.

Na gravidez, elas são importantes na hora do parto, promovendo as contrações uterinas. Saiba mais sobre a importância das prostaglandinas.

O que são prostaglandinas?

De acordo com o Jornal de Pediatria, as prostaglandinas são substâncias lipídicas que atuam na própria célula que as produz e também nas células vizinhas. Diferentemente dos hormônios, elas não entram na corrente sanguínea.

Por serem lipídicas, elas são sintetizadas pelos ácidos graxos que ficam na membrana celular. Praticamente todas as células do corpo produzem prostaglandinas, em especial quando existe uma área machucada que precisa de recuperação, pois essa é uma de suas funções.

O nome prostaglandina vem de “próstata” e “glândula”, pois foi no sêmen humano a primeira vez que essa substância foi encontrada. Mas algum tempo mais tarde foi percebido que ela está presente em muitas outras partes do corpo.

Embora ela não participe de processos estruturais, atua em muitos processos fisiológicos, promovendo a comunicação entre as células, com uma atuação específica em cada parte do corpo.

Tipos de prostaglandinas e suas funções

tipos de prostaglandinas
Crédito: Freepik

Falar sobre prostaglandinas não é simples, pois são muitos nomes e funções que necessitam de um conhecimento mais aprofundado para compreender. Mas, veja a seguir quais são os tipos de prostaglandinas e suas funções no corpo para facilitar a compreensão de um modo geral.

Prostaglandina I2 ou prostaciclina

  • Vasodilatação
  • Inibe a agregação de plaquetas
  • Dilatação dos brônquios

Prostaglandina E2 ou dinoprostona

O efeito desse tipo varia conforme o seu receptor. Veja quais são os tipos de receptores e as suas ações no corpo:

Receptor de prostaglandina E1

  • Contração dos brônquios
  • Contração do músculo liso gastrointestinal

Receptor de prostaglandina E2

  • Dilatação dos brônquios
  • Relaxa o músculo liso gastrointestinal
  • Inibição enzimática
  • Vasodilatação

Receptor de prostaglandina E3

  • Reduz secreção de ácido gástrico
  • Amplia a secreção do muco no estômago
  • Contração uterina na gestação
  • Contração do músculo liso
  • Inibe a quebra de gordura (lipólise)

Prostaglandina F2 alfa

  • Contração uterina para induzir o parto
  • Dilatação dos brônquios

Funções das prostaglandinas na gravidez

funções da prostaglandinas
Crédito: Freepik

Como viu, alguns tipos dessas substâncias atuam nas contrações uterinas na hora do parto. Nesse momento, são os hormônios estrógeno e progesterona os responsáveis por regular a produção e liberação das prostaglandinas no endométrio (camada que reveste o interior do útero).

Quando chega no final da gestação, elas atuam na maturação cervical, ajudando no relaxamento dos músculos lisos no colo do útero. Assim, essa estrutura passa de um estado rígido para um estado dilatado e suave, possibilitando a passagem do bebê para o seu nascimento.

Para promover essas contrações de forma eficiente, o nível de prostaglandinas aumenta no final da gravidez. Se não houver contrações o suficiente até a 41ª semana, então o hospital costuma induzir as contrações para evitar que a placenta comece a envelhecer e não mais suprir as necessidades nutricionais do bebê.

Então, nesse caso, as prostaglandinas são dadas à mulher de forma sintética, por meio de um gel que vai atuar no estímulo das contrações.

Nos casos de morte fetal antes do parto, essas substâncias também sabem que é o momento de promover contrações uterinas para a expulsão do feto.

Além dessas funções na hora do parto, essas substâncias atuam no momento da concepção, por isso é que também estão presentes no sêmen do homem, ainda que em menor quantidade. Após o ato sexual, as prostaglandinas fazem o útero se contrair, facilitando a chegada dos espermatozoides nas trompas para que haja a fecundação no óvulo.

É por causa disso que se recomenda ter relação sexual no final da gravidez, pois poderá facilitar o início das contrações para que a mulher entre em trabalho de parto.

Por fim, mais uma curiosidade sobre as funções das prostaglandinas no sistema reprodutor está relacionada às cólicas menstruais. Elas ocorrem justamente quando o útero promove contrações para expulsar o endométrio (menstruação), e quem causa essas contrações são as prostaglandinas.

Então, o ginecologista pode receitar inibidores dessas substâncias para as mulheres que tanto sofrem com cólicas fortes.